CICLOS

(Texto da Série – Reflexões da Quarentena)

O que eu gostaria de recomendar a você nesse texto é: Observe seus ciclos!

Foi libertador para mim quando pude aprender sobre o que acontece comigo e com todas as mulheres durante as 4 fases do ciclo menstrual. 

Digo que isso foi libertador, porque assim, eu pude compreender e acolher os meus ciclos com muito mais carinho e amorosidade. Pude também comunicá-lo com mais clareza para os que comigo convivem, e assim aliviar as tensões. 

Ficou mais fácil compreender por que sou uma mulher diferente em cada uma das semanas do mês. Eu descobri que isso é natural e está tudo bem ser assim. Diminuí as cobranças e a pressão sobre mim mesma por estar sempre disposta e sociável. Diminuí a culpa por estar, às vezes, irritada com tudo e com todos e até comigo mesma. Aprendi a aproveitar melhor os períodos em que me sinto energizada e produtiva. 

Por isso, eu realmente recomendo a você: Observe e acolha os seus ciclos!

Aproveite esse momento que está mais em casa e que tem convivido com você mesma em um mesmo ambiente. Isso vai facilitar a sua observação. Sem grandes mudanças no “cenário”, você poderá perceber com mais facilidade as variações físicas, vitais e emocionais que você enfrenta ao longo do mês. Vai perceber o quanto você é cíclica e o quanto é saudável ser assim.

Eu não sou especialista nesse tema. Eu aprendi muito sobre ele em conversas, pesquisas e tenho estudado um pouco a cada dia. 

Mesmo assim, eu me aventurei e preparei um pequeno roteiro, baseado nas minhas leituras e especialmente num aplicativo chamado Lunar, que ajuda a acompanhar seus ciclos, suas sensações e também oferece dicas de como se alimentar e o que observar em cada fase. 

Meu intuito aqui é plantar uma sementinha e te ajudar a perceber essas variações, ganhar consciência e dar a você mesma o que precisa, em cada uma dessas fases.

Veja se é assim que você se sente, em cada uma das semanas do mês…..

Fase Pré-menstrual:
– Você sente que suas emoções se intensificam?
– Sente uma alternância entre: momentos de maior criatividade, entusiasmo, vontade de estar com outras pessoas e outros momentos de retração, vontade de ficar só e desejo de mais escuta interna? – Nessa fase você sente que os outros não te entendem e muitas vezes nem você mesma consegue se entender?
– Acontecem explosões energéticas e emocionais que muitas vezes surpreendem a você e aos outros com quem convive?
– Você se sente mais sensível às influências do meio?
– Sente necessidade de estar mais sozinha para renovar energias?

Nessa fase o corpo se prepara para a fecundação e quando ela não acontece, o corpo se prepara para desmontar e desintegrar o sistema que estava preparado para acolher a gestação. Esse momento simboliza as despedidas e as dissoluções, por isso é comum que surja a sensibilidade, a tristeza ou a dor.

Fase Menstrual:
– Você sente mais lentidão e deseja maior introversão?
– Nos primeiros dias você se sente mais raivosa, frustrada e irritada?
– Sente seu corpo mais inchado e retendo líquidos?
– Você sente dores, fadiga e melancolia? – Quando consegue se cuidar e se dar mais colo, você sente uma sensação de alívio, serenidade, emotividade, agradecimento e até uma conexão maior com o feminino, sem muita explicação?
– Sente que é momento de se concentrar no seu mundo interior e no amor próprio?
– Você sente que está mais conectada com a dimensão sutil, espiritual e emotiva da existência?  

Nessa fase seu corpo passa por uma purificação que tem um sentido de sagrado nas tradições e culturas antigas. É a fase mais poderosa do seu ciclo.

Fase Pré-ovulatória:
– Você se sente mais leve emocionalmente?
– Você se sente mais confiante nos seus próprios recursos?
– Se sente mais ativa do que sensitiva?
– Se sente menos preocupada, mais livre e mais brincalhona?
– Consegue lidar com situações conflituosas com menos peso e com um novo olhar?
– Você reflete mais sobre a sua autonomia e liberdade e tende a tomar mais decisões sem dar tantas explicações?
– Você sente que está com um olhar mais prático para as coisas do mundo? Menos conectada com a dimensão sutil da existência?
– Você comunica melhor seus desejos e tem mais facilidade de dizer “não”?
– Sente mais vontade e mais disposição para realizar exercícios físicos?
– Sente seu corpo mais energizado, elegante e ágil?
– Você se sente mais criativa, realizadora, poderosa e potente?
– Sente mais vontade de socializar com outros pessoas? Tem vontade de sair da caverna?
– Tem mais vontade de ler livros, conhecer histórias e pesquisar coisas novas?
 
Essa é a fase de maturação do ovário e liberação do óvulo para fecundação, acontece uma redistribuição de energia por todo o corpo, por isso, uma sensação de potência, poder e força acontece. Você sente que está mais “normal” e mais você mesma, mas na verdade você está apenas mais racional e com menos emoções transbordantes e esse estado é o que acaba sendo mais valorizado pela sociedade como um todo, inclusive por nós.

Fase Ovulatória:
– Você se sente mais “mãezona” com o instinto maternal intensificado, se depara com a capacidade de cuidar, proteger e compreender. Não apenas seus filhos, mas todos a sua volta?
– Você tem mais vontade de arrumar a casa, as coisas e criar?
– Você se sente mais criativa?
– Sente prazer em se conectar com outros e oferecer apoio e atenção?
– Tem mais vontade de tirar os projetos do mundo das idéias e da imaginação e trazer para mundo material?
– Você se sente mais capaz de focar, concentrar-se e construir coisas novas com mais maturidade?
– Conta com energia suficiente para entrar em ação, tanto sozinha como junto de outras pessoas?
– Você se sente mais completa, radiante, luminosa e atraente?
– Você se sente mais capaz, dinâmica e vibrante?


Essa é a fase da janela fértil, fase da liberação do óvulo para ser fecundado. É quando nossa fertilidade se manifesta e o corpo todo se prepara para abrigar e gerir não só a vida humana, mas todo tipo de criação! Momento ideal para gestar novos projetos e criações. Essa é a fase de emergir e florescer o que foi semeado e nutrido durante a fase menstrual.

Vale comentar que esses ciclos existem na vida de todas nós, mesmo que a fase menstrual já tenha terminado. Nesses casos, as mulheres já não necessitam mais viver a experiência da purificação todos os meses. Elas vivem esses ciclos com mais maturidade e sabedoria. 

Caso você queira se aprofundar e saber mais sobre o assunto, eu recomendo seguir o Instagram @noritmodalua elaborado pela Renata Gennari, que foi quem me apresentou para esse conteúdo tão poderoso.

Para finalizar essa reflexão, eu quero registrar também que existem muitos outros ciclos que acontecem simultaneamente e que influenciam a nossa vida cotidiana, sem muitas vezes nos darmos conta. São os ciclos naturais, aos quais todos estamos conectados: os ciclos da lua e do sol, os movimentos da terra em volta de si e do sol, os equinócios e solstícios, as estações do ano, as constelações, as marés e até o ciclo da noite e dia. 

Eles eram muito mais conhecidos, contemplados e celebrados na antiguidade.

Nas culturas tradicionais e milenares, nossos ancestrais tinham neles a sua grande fonte de conexão e, orientados por eles, definiam a vida cotidianaos calendários agrícolas e festivos e a noção de tempo

O homem vivia e explicava o mundo que o rodeava de forma sagrada. As festas representavam a ligação entre o individuo, a comunidade e o divino. Existiam culturas que celebravam o ciclo vida e morte e o culto aos antepassados. 

Nos tempos modernos, a ciência e tudo o que é matéria passou a tomar o lugar do sagrado. Mas podemos notar nos dias atuais, o regresso às tradições, à vida comunitária, ao vínculo com a terra e com a espiritualidade.

Minha proposta aqui é justamente essa: Resgatar e se reconectar com esses ensinamentos. Renovar e dar nova vida a todos esses conhecimentos. Reconhecer que somos todos seres cíclicos (mulheres, homens e crianças), a vida é cíclica, a natureza é cíclica. Até a economia vive ciclos e renovações. Saber que nada é eterno e tudo se transforma, nos acalma. 

Então, está tudo bem! Viva um dia de cada vez….um ciclo de cada vez. Experimente observar os ciclos em você e nos outros. Aprenda a apreciá-los, respeitá-los e até reverenciá-los. Eles têm muito a ensinar. 

Compreender os ciclos da vida e os nossos próprios é uma poderosa ferramenta de autoconhecimento. 

A consciência e o autoconhecimento libertam. 

E essa experiência pode ser divertida!

Carla Merlina Gennari

Baku, 25 de maio de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *