LADO B LADO A: O que tem do outro lado?

Compartilho aqui uma história e um trecho retirado do livro: Ressignificando de Richard Bandler e Jonh Grinder.

“Uma historia chinesa muito antiga do taoísmo fala de um camponês que habitava numa aldeia muito pobre do interior. Era considerado bem de vida porque possuía um cavalo que usava para arar a terra e como meio de transporte. Um dia seu cavalo fugiu. Todos os vizinhos exclamaram que isso era terrível: o camponês disse simplesmente: “Talvez”

Alguns dias depois, o cavalo voltou e com ele trouxe mais dois cavalos selvagens. Todos os vizinhos alegraram-se com sua boa sorte, mas o camponês disse simplesmente: “Talvez”

No dia seguinte, o filho do camponês tentou montar num dos cavalos selvagens; este o lançou por terra e o rapaz quebrou a perna. Os vizinhos todos condoeram-se com seu azar, mas novamente o camponês disse: “Talvez”

Na semana seguinte, os oficiais da convocação militar vieram até a aldeia para recrutar jovens para o exército. Rejeitaram o filho do camponês porque estava com a perna quebrada. Quando os vizinhos comentaram como tinha sorte, o camponês respondeu: “Talvez”

O significado de todo acontecimento depende do “molde” pelo qual o vemos. Quando mudamos de molde, mudamos o significado. Ter dois cavalos selvagens é uma coisa boa até que se considere o fato no contexto da perna quebrada do filho. Esta perna quebrada parece algo ruim no contexto da pacífica vida do lugarejo, mas, no contexto de recrutamento e da guerra, subitamente torna-se um acontecimento positivo.

A isto chama-se “ressignificar”: modificar o molde pelo qual uma pessoa percebe os acontecimentos, a fim de alterar o significado. Quando o significado se modifica, as respostas e comportamentos de pessoas também se modificam.

A ressignificação aparece em muitas fábulas, estórias de fadas, piadas. É elemento-chave no processo criativo e é muito usada no contexto terapêutico”

Enfim, o que eu gostaria de refletir com esse texto é que a ressignificação não está presente apenas nas fábulas e nas estórias de fadas. Está também presente em nossas vidas, porque toda história e toda a experiência vivida pode ter seu “Lado B e seu Lado A”, assim como nos antigos discos de vinil. Lembra deles?

No passado, na década de 90, quando a venda dos discos aumentou o Lado B ficou destinado às músicas que davam menos audiência. Mas, no início, ele era o lado das canções diferenciadas, alternativas, espontâneas. O lado da diversidade e o lado mais autêntico dos artistas, onde expressavam a sua verdadeira essência. 

Ressignificar é justamente conhecer o Lado B. É construir e experimentar novos pontos de vista para suas crenças e experiências do passado que te limitam e que não fazem bem para você. Trazendo liberdade para que você viva a sua verdadeira essência, sem medo de se expressar.

É exatamente isso o que acontece nas experiências SERALEGRIA. Vivenciamos, por meio de jogos, conceitos, ferramentas e diálogos, uma nova possibilidade de compreender a vida, suas relações e suas experiências, libertando você para ser quem você é, com leveza e alegria. 

Como seria a experiência de fazer uma leitura diferenciada de você mesmo e de suas experiências na vida? O que você está precisando libertar?

Carla Merlina Gennari

França, 18 de novembro de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *